segunda-feira, 17 de agosto de 2009

PARA ONDE VÃO AS NOSSAS PREGAÇÕES



Para onde vão as nossas pregações?
Cantares de Salomão - 3.8

“ Todos Sabem manejar a espada e são destros na guerra”

Grande problema relacionado à pregação é o abandono das regras da homilética, que é a arte de pregar o Evangelho. Muitos pregadores estão ocupando o púlpito das nossas igrejas sem que saibamos o que eles estão falando. Qual o assunto e o titulo de sua mensagem.
Geralmente esses pregadores fazem um apanhado geral das idéias e expõe a igreja sem nenhuma regra e organização gerando problema para aqueles que ouvem porque não entendem a mensagem.
Outros há que não preparam suas pregações e pregam de improviso, é tem a coragem de dize que só vai falar aquilo que Deus mandar. Isso é uma vergonha para quem milita nessa causa tão nobre .
Quando falamos em pregação preparada, estamos falando de algo preparador dentro do padrão bíblico, e não mensagens preparadas em laboratórios como se estivesse saído de tubos de ensaio com meras técnicas ou sabedoria humana.
A Igreja está esperando de nós pregadores, mensagem eloqüente cheia do poder de Deus, e não meros malabarista e animadores de platéia ou artista de púlpito. Há pregadores mais preocupados em alegrar a igreja do que mesmo com a mensagem Deus que vai ser pregada naquele culto. Assim, abandonam regra de suma importância na pregação que chamamos de homiletica.
Uma mensagem que o esquema do sermão foi preparado com antecedência, também será mais bem apresentada aos nossos ouvintes, sem levar em consideração a nossa frágil memória.
Tenho observado que os nossos púlpitos estão recheados de supostos pregadores, vestidos de ternos finos e sapatos lustrosos dando-nos aparência de grandes expoentes pregadores, mas quando começam a pregar, logo começam também os chavões.
A nossa preocupação com a mensagem é:
1. Buscar a revelação de Deus;
2. Buscar a inspiração de Deus;
3. Buscar a unção do Espírito Santo;
4. Estudar e meditar o assunto que pretende falar;
5. Orar ao Senhor para receber dele a orientação;
6. Aplicar as regras da homilérica que são:
a. Titulo da mensagem;
b. Texto básico para a mensagem;
c. Introdução do assunto;
d. Tese a ser apresentada
e. Argumento que responde a tese
f. Conclusão
g. Apelo.
Depois de preparado o Sermão, deixe-o de molho no óleo do Espírito Santo. Assim, não haverá preocupação com igreja se vai ou não se alegrar.
Muitos pregadores acham que o êxito da mensagem está em ver a igreja pular, correr pelos corredores e até cair. Caso isso não aconteça, sua mensagem foi um fracasso. Ainda, aqueles que dizem; levante sua mão, cutuca seu irmão, diz para ele dar gloria a Deus, e cosias parecida.
Outros começam cantar corinhos, ou saudações longas que tomam todo o tempo da mensagem, e depois dizem: o tempo foi pouco.
Precisamos nos conscientizar que o momento da mensagem, é momento da mensagem e não deve ser usado para outras coisas.
Precisamos voltar à simplicidade da pregação pois ela é revestida de inspiração, revelação e poder de Deus, se é que estamos interessados em ganhar almas para Cristo, ou apenas vender o produto.
Cuidados com os êxtases que estão acontecendo na igreja. Muitas vezes ocorre uma explosão de glória Deus e aleluia, e nem ouvimos a pregação, sem falar daqueles que nem sabem por que estão dando glória Deus. São verdadeiros movimentos e técnica humana.
Há muitos, obreiros muitos pregadores, porem são poucos que sabem manejar a espada. Tem muita gente com a espada na mão, mas não sabe usar. Por essa razão o povo está faminto, estão cansados de arroz com feijão. Querem mensagens de homens que não fazem de suas pregações meros discursos políticos ou noticiários de problema de ordem social, ou de astro da musica pop que morreu.
Estamos ansiosos por mensagens vinda direta do trono de Deus para nossos corações, mas em vez disto estamos voltando de nosso de domingo cansado e com o corpo doido de tanto levanta o braço e levar cutucada do irmão do lado. Estamos chegando o tempo que vamos ter que faz artes marciais para vir adorar a Deus. Que Deus tenha misericórdia.

Para onde vão as nossas pregações?
Você meu caro irmão, aspirante ao ministério, ou até mesmo você que já milita nessa obra, pense nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário